» Surf forever

Por Kleber Batinga

Para o legend baiano Kleber Batinga, o surf não tem limite de idade. Foto: Tom Almeida.Na primeira em vez que pisei meus pés no território havaiano, percebi alguns fatos que, por conta das diferenças culturais e tradições, chamaram muito a minha atenção.

Passei por Waimea, o lugar mais desejado por mim, e, como o vôo chegava no fim da tarde, só consegui ver, do fundo da track do meu amigo Lapo, que foi nos buscar no aeroporto, a penumbra da bonita baía, emoldurada pelas montanhas, e seu contorno de pedras.

Para mim, eram importantes a tradição e a majestade daquele lugar incrivelmente belo, naquela época o anfiteatro supremo do big surf mundial.

Até então, não havia aparecido para a mídia nenhum outro pico de ondas grandes, com exceção de Makaha e os outsides reefs do North Shore e Kaena Point, que acima dos 30 pés eram insurfáveis aquela época, ou o Unridden Realm.

Outro fator muito importante era o respeito pelo mar e pelas ondas. Se o cara desse mole dentro dágua e fosse “queixão”, como a gente falava na época, apanhava mesmo. Era a máxima: respeite para ser respeitado.

Além disso, certa vez estava em Sunset Beach e o mar estava subindo muito rápido. Naquela época não havia internet, o dia tinha amanhecido com meio metrinho de onda, mas já tínhamos de 3 a 4 metros de onda sólidos.

Peter Cole, 76, mantém a forma em Sunset Beach, Hawaii. Foto: Vitor Marçal.A maior parte da galera estava indo para a cidade e vi chegar um coroa que devia ter naquela época por volta de 55 anos. Ele tirou a sua prancha enorme, sem cordinha, de dentro do carro e, apesar de a essa altura o mar estar enorme, beirando os 5 a 6 metros, ele se atirou na água e foi direto ao outside.

O nome dele: Peter Cole, que até hoje, aos 76 anos, surfa em Sunset com 3 a 4 metros sólidos com a sua prancha grande, sem cordinha, e sua velha T-shirt. Nesse mesmo mar de 5 a 6 metros, em Sunset, vi Phylis Dameron, uma bodyboarder francesa que, assim como Peter Cole, surfava Waimea e botava pra baixo.

Ano passado, em Waimea e Sunset, vi coroas na faixa dos 50 anos com gunzeiras de 10 pés; garotas, inclusive japonesas kamikazes, saindo do mar com pranchas partidas ao meio só para fazer uma foto, e garotos, também novos, com pranchas pequenas e já dentro dágua no maior gás.

Batinga, 53, em ação na praia da Corrente, Salvador (BA). Foto: Tom Almeida.Eu que, quando nos meus 20 e poucos anos achava que aos 30 não estaria mais surfando, quebrei todos os meus paradigmas e aos 53 continuo na ativa, correndo campeonatos inclusive com a mesma gana, e sonhando em ir de novo e todo ano ao Hawaii.

No Brasil, temos o Sr. Afonso Freitas, pai do longboarder Marcelo Freitas, com 85 anos, e uma geração, na faixa dos 50 e poucos aos 60, do Morongo, Rico, Daniel Friedman Otavio Pacheco, John Wolthers, João Leite, Pedroca, Roberto Teixeira, Dadinho, Chico Paioli, Zé Paioli, Ângelo Giló, Carlão Moraes, Dimitrios Levendakos, Carlos Mudinho, Fredão, Paulo Sefton, Kadu Moliterno, Cly Lolie, estes dois últimos de pranchinha, além de outros. Todos com muito gás e quebrando as ondas.

Os havaianos Clide Aikau e Titus Kinimaka, ambos acima dos 50 anos, ainda são convidados ao Eddie Aikau e se jogam. Eles também foram convidados para correr o mundial de tow in.

Até quando vamos ter o Burle e o Eraldo – dois dos maiores big riders do planeta – em ação, pegando as grandes? Com certeza por muitos anos. Com toda a saúde e disposição que eles têm, podem facilmente chegar aos 80 anos surfando.

Woody Brown surfou até os 92 anos. Foto: Reprodução Surfing Magazine.Então, qual será o limite? Ele não existe. Está em nossas mentes. Woody Brown, aquele mesmo que estava com Dickie Cross quando Sunset começou a fechar e eles resolveram sair por Waimea três quilômetros praia abaixo, culminando com a morte de Dickie Cross em 1943, continuou surfando até os 92 anos de idade.

E qual o segredo? Diz o patriarca do clã Paskowitz o Mr. Dorian Paskowitz que ele não sabe ao certo, mas que, para variar, todos os longevos no surf têm uma vida regrada: Peter Cole, Woody Brown, Ken Bradshaw etc. No caso especifico dele, diz que nunca gostou de bebedeiras, drogas, remédios, farras, etc, e que a partir dos 50 eliminou açúcar e manteiga.

Aí, perguntaram a ele qual a graça de viver desse jeito? Ele respondeu de bate pronto e com muita sabedoria: “Muito surf e muito sexo, pois sempre fui muito bem casado, graças a Deus, e com a saúde que tenho compareço quase todos os dias”.

Detalhe, ele respondeu a essa entrevista aos 85 anos, enquanto se preparava para uma corrida de canoas havaianas em Waikiki, no Hawaii. Em minha modesta opinião, e vou aqui acrescentar: o surf ajuda muito também a manter-nos saudáveis e jovens, tanto física quanto espiritualmente. Então, viva o surf! Espero ir até os 90, como Mr. Woody Brown, Mr. Dorian Paskowitz e Mr. Affonso Freitas no Brasil.

===========================================Surf4ever

Beleza & Saúde - Submarino.com.br

Anúncios

5 Responses to “» Surf forever”


  1. 1 Surf4ever nov 23 2006 às 12:49 am

    NOTA:

    ESSE ARTIGO FOI PUBLICADO ORIGINALMENTE NO SITE WAVES, E, POSTERIORMENTE, COM A AUTORIZAÇÃO DE SEU AUTOR – KLEBER BATINGA – FOI POSTADO AQUI NESSE BLOG.

    S4e

  2. 2 rodrigo trento dagostin nov 23 2006 às 8:50 pm

    O Surf é, além de esporte, uma filosofia saudável de vida, que nos mantém sempre disposto a encarar uma novada remada, seja o mar grande, o melhor, ou uma brincadeira em marolas…

    Saúde e vida longa a todas com um novo e grande swell a vista!!!!

    Rodrigo “Terror”
    Praia do Rincão/SC.

  3. 3 João Paulo Feier dez 01 2006 às 9:44 am

    Surf para mim eu poderia classificar como uma das razões do meu viver. É difícil para quem nunca surfou entender isso mas para quem ja teve a oportunidade de cortar uma onda com qualquer prancha que seja entende melhor o que eu digo.
    Lava a alma e faz bem para a mente. Energiza o corpo e trás felicidade pois a carga de energia positiva que o oceano tem nem da para medir.

    Gostaria de agradecer a iniciativa do meu grande amigo por ter dado inicio a esse blog fantástico que trás a finalidade de manter unida essa tribo do surf e mostrar inclusive para os que ja surfaram, e hoje não surfam mais, que nunca é tarde, nunca mesmo pois vendo coroas de 85 anos botando pra baixo temos q rever conceitos.

    Chezera, parabéns pela idéia e pela atitude de realizar a idéia. Soul surf , surfe é vida e alegria e como diria meu amigo Gabriel Piccoli: o que leva dessa vida é a vida que se leva!!! Valeu.

  4. 4 marcelo maia maio 23 2008 às 12:35 am

    Nao tenho palavras pra espressar, o que e ler estas comentarios. pois temos que agradecer a deus por termos este privilegio de surfar! !`_`!

  5. 5 kleber santos maio 22 2012 às 1:01 pm

    muito bom galera ja surfei na adolecencia e hoje aos 42 estou novamente comecando o que nunca deveria ter parado e muito bom estou tendo algumas dificuldades mas nao vou desistir nunca ja fiz isso e vou fazer novamente um abraco atodos e boas ondas.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




“Eu vou pegar uma onda todos os dias, mesmo que seja na minha mente.”

“I will catch a wave every day, even in my mind.” Shaun Tomson

Uso recomendado:

Pra lavar a alma!

contato@surf4ever.com.br

Fica a vontade em mandar e-mail, ou comentar em qualquer post do blog, mesmo que seja antigo!

Blog com:

  • 415,474 hits

No blog agora:

hit counter

Arquivos:

Parceria Sul-Americana:

Melhor em 1024 X 768 pixels

******************************